Estrias têm tratamento

As estrias costumam aparecer quando a pele sofre uma distensão repentina. Por isso, elas são comuns na puberdade, na gravidez e também em atletas que têm rápido ganho de massa muscular. A predisposição genética é um dos fatores que influencia no surgimento das estrias. Elas são conseqüência da ruptura das fibras elásticas e colágenas da pele. Se caracterizam pelo surgimento de faixas de pele atróficas, enrugadas, causadas por uma distensão exagerada das fibras elásticas. Num primeiro momento, surgem avermelhadas, a seguir de cor púrpura e, nos casos mais intensos, com coloração branca. 

 

Ocorrem mais comumente no abdômen, nádegas, coxas e nos flancos. Atingem predominantemente as mulheres, cerca de 60% dos casos. Atualmente, já existem tratamentos eficientes que podem reduzir e até mesmo acabar com as indesejadas marcas.

Com o desenvolvimento do laser, o número de tratamentos se ampliou. Temos pelo menos seis procedimentos viáveis, que apresentam resultados, e que devem ser recomendados por um especialista de confiança do paciente após analisar o caso pessoalmente:

  1. Sessões com o Enerjet:  equipamento recém chegado no Brasil que dispensa o uso de agulhas, estimula a produção do colágeno e atinge camadas profundas da pele. Atua na regeneração celular. Pouco invasivo, oferece resultados visíveis nas primeiras aplicações;
  2. Aplicações de laser de CO2 fracionado: esta técnica promove a vaporização da água da pele, estimula a produção do colágeno, cicatrização e retração da área estimulada. Ameniza as marcas deixadas pelas estrias e melhora o aspecto da região tratada;
  3. Aplicações de Laser Er:Yag, que tem a finalidade de estimular a produção de colágeno. Assim como o outro procedimento, recupera a aparência da área tratada;
  4. Peelings com ácido retinóico feitos pelo médico, a cada duas ou três semanas, para amenizar as marcas;
  5. Uso tópico de cremes com ácido retinóico, de uso domiciliar, que podem ser aplicado pelo próprio paciente, sob supervisão médica. Atenção, pois há restrições em relação à exposição ao sol; e
  6. Uso de cremes com vitamina C, que ajudam a estimular a formação de colágeno.

Grávidas não podem se submeter aos tratamentos. Mas após a gestação, ainda na fase de amamentação, é possível iniciar os procedimentos. O melhor é cuidar para evitar o aparecimento das estrias: mantenha seu corpo e pele bastante hidratados, use óleos e cremes, em especial os que possuem amêndoa e ureia em sua composição; evite ganho de peso excessivo e aumento repentino de massa muscular.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.