Revista do Correio publica matéria sobre bronzeamento

Confira abaixo na entrevista que concedi para Revista do Correio tudo sobre bronzeamento da pele.

Pele de verão - Clínica Ricardo Fenelon Brasília

Especialistas ensinam cuidados com o bronzeamento de pele no verão
Por Raphaele Caixeta

Muitos querem começar a curtir a estação mais esperada do ano já bronzeados. Mas especialistas advertem que é preciso cuidado antes de aderir a um dos métodos artificiais oferecidos no mercado

Quem diria que a pele bronzeada, tão amada pelas brasileiras, não foi invenção nossa. Segundo registros históricos, em 1923, a estilista Coco Chanel se descuidou ao tomar banho de sol durante uma viagem de iate e, ao retornar à rotina, apresentou a pele bronzeada, lançando uma tendência que perdura até hoje.

Com a aproximação do verão, mais que nunca, a pele dourada se torna objeto de desejo. Antes de mergulhar de vez no projeto bronzeado, é preciso, porém, saber qual técnica é a melhor e mais segura para o seu biotipo. Para entender melhor, bronzeamento artificial é qualquer método que lance mão de substâncias ou equipamentos para aumentar a quantidade de melanina na pele e, consequentemente, alterar a cor temporariamente.

O primeiro passo é checar se o procedimento é liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As câmaras de bronzeamento, por exemplo, foram proibidas no Brasil em 2009, exatamente pelos riscos que representavam. Se alguém oferecer um serviço assim, fuja!

Para o dermatologista Wesley Ferreira, a pessoa deve procurar avaliação médica para analisar o cenário como um todo. Algumas questões muito importantes devem ser levadas em conta, como se a pessoa ou familiares têm histórico de câncer de pele; se existe alguma doença dermatológica agravada pela incidência do sol; ou, até mesmo, se faz uso de determinados medicamentos.

Já quem tem pele, olhos e cabelos mais claros não deve insistir demais. Existe, comprovadamente, uma maior dificuldade desse perfil de pessoa em conseguir alcançar certos tons, jamais se deve “forçar” o escurecimento da pele.

Além do risco de provocar queimaduras, o dermatologista Ricardo Fenelon alerta para o perigo da radiação ultravioleta na derme. “A possibilidade de desenvolvimento de um câncer de pele é maior. São pessoas que têm menor capacidade de defesa em relação à radiação”, reitera.

Outro sinal de alerta é quando o profissional não informa quais os riscos que o bronzeamento oferece. Todo tratamento tem diversos riscos, que devem ser informados de maneira clara e direta antes de iniciar o procedimento.

Métodos

A esteticista Luciana Branco dá as dicas para uma pele bonita e saudável. A técnica que domina atualmente o cenário estético é o bronzeamento com fita, que ficou nacionalmente conhecido depois que apareceu no videoclipe da música Vai, Malandra, da cantora Anitta. É feito com um biquíni de fita adesiva, que, aliado a cosméticos, são capazes de deixar a pele não só dourada, mas com a desejada “marquinha”. Os produtos usados geralmente são à base de betacaroteno e parafina, que age protegendo a pele.

Quem aprova o método é a cantora e produtora Eliza Borges, 42 anos. Ela conta que procurou o primeiro bronzeamento artificial aos 37 anos e, atualmente, faz o procedimento com regularidade para manter o tom. “Eu gosto da cor que fica. Por isso, procuro me hidratar bastante no dia. Também sempre tomo suco de cenoura ou laranja com beterraba para potencializar”, ensina.

Já para as adeptas do faça você mesmo, os autobronzeadores são produtos de aplicação para conseguir a pele dourada em casa, na praia ou no clube. O rótulo é o melhor amigo; então, leia sempre a descrição para ter certeza de que ele é compatível com suas necessidades. A dica é: espalhe bem para não deixar manchas.

O bronzeamento a jato é para quem acredita que a pressa pode ser aliada da perfeição, sim. Realizado apenas em clínicas estéticas, o procedimento é rápido, podendo deixar a pele bronzeada em questão de minutos. O corpo recebe um jato de solução bronzeadora, que pode vir potencializada com vitamina A, antioxidantes e até óleos essenciais.

Alimentação

Esfoliar a pele uma semana antes ajuda a fixar a cor. Mas a ordem mesmo é se preparar com pelo menos um mês de antecedência. Com a ingestão dos nutrientes certos, o bronzeamento pode ter um resultado muito melhor.

Os alimentos ricos em betacaroteno e carotenoide — presentes, por exemplo, na cenoura, no mamão e na abóbora — combatem os radicais livres, protegendo a pele de danos da radiação solar. Além de agir estimulando a síntese da melanina, que realça o bronzeado.

Mas, se você prefere praticidade, pode optar por ingerir nutricosméticos — cápsulas que têm substâncias de bronzeamento, como vitaminas C e E, betacaroteno, urucum e cacau, entre outros. As pílulas ajudam a estimular a produção de melanina, preparando a pele para um bronzeado de longa duração.

Depois, é só investir em cuidados diários e muita hidratação, que vai garantir uma derme mais saudável e macia, segurando a cor por muito mais tempo.

“Eu gosto da cor que fica. Por isso, procuro me hidratar bastante no dia. Também sempre tomo suco de cenoura ou laranja com beterraba para potencializar”
Eliza Borges, cantora e produtora.

Acesse o link para matéria completa: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/revista/2018/12/02/interna_revista_correio,722414/pensando-em-se-bronzear-especialistas-ensinam-os-cuidados.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *