Depilação da barba a laser preserva o bem mais precioso do homem: o tempo

Cerca de 30% dos pacientes que freqüentam o consultório dermatológico são homens. Tratamentos para a calvície são os mais procurados por esse público. Em contraposição, a remoção de pelos do corpo também está no topo do interesse masculino. Entre as terapias com essa finalidade, a retirada da barba com tecnologia a laser modifica a rotina de pacientes de várias faixas etárias.

Muitos pacientes relatam ser uma espécie de libertação não precisar mais fazer a barba diariamente. O ritual diário na frente do espelho leva tempo – um dos bens mais preciosos atualmente. A depilação prolongada a laser da barba é indicada principalmente para quem apresenta bolinhas de pus no rosto após a barba – inflamação conhecida como pseudofoliculite de barba – e também para quem não quer fazer a barba com lâminas ou aparelhos elétricos. Como o laser trabalha por atração à melanina, a depilação apresenta melhores resultados em homens de pele clara e pelo escuro e grosso, não sendo recomendada a pessoas de pele escura.

Com o laser, a barba é feita a cada 4 semanas. Depois de 5 a 7 sessões, os pelos vão ficando mais escassos e a intervenção pode chegar até a média de duas vezes ao ano, como manutenção do tratamento. Para realização das sessões, recomenda-se que o paciente esteja com a pele sem bronzear, e que o pelo esteja aparente e pequeno. O ideal é deixar de fazer a barba por dois dias antes de se submeter a uma aplicação de laser. Durante o tratamento, deve-se evitar exposição da pele ao sol, sendo o uso do filtro solar necessário nesse período.

Fonte: Finíssimo

Dr. Ricardo Fenelon
Dermatologista
Presidente da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia – Regional Centro-Oeste
CRM 4901

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.