Cecê ou chulé pode ser doença, mas tem tratamento

Bromidrose tem tratamento - Clinica Ricardo Fenelon - Brasília/DF

Não há quem não se incomode com alguns odores do corpo, como o desagradável mau cheiro das axilas e dos pés. Essa alteração no cheio do suor é conhecida como bromidrose. A transpiração em si não possui cheiro, mas em contato com bactérias que se instalam na superfície da pele causam o distúrbio.

Confira abaixo a matéria completa do Jornal Aqui DF, onde falei sobre o assunto e dei dicas sobre como evitar e tratar o problema.

 

A bromidrose afasta as pessoas

Pode ser que você não conheça pelo nome “científico”, mas sabe exatamente os outros nomes do termo: cecê e chulé. O problema começa a surgir no início da adolescência e atrapalha até o fim da vida

* Por Jailson R. Sena

“Sai da minha aba, sai pra lá, não aturo mais você” diz a letra da música Sai da minha aba. O grupo Só pra Contrariar criou essa música, e muitos a usam para distanciar algo que já não suporta. E se um dos motivos para esse distanciamento for a bromidrose, popularmente conhecido como cecê, quando o odor vem das axilas, ou de chulé, quando o mau cheiro aparece nos pés?

Essa situação desagradável começa no início da adolescência. Antes, a transpiração em si não possui cheiro, mas em contato com bactérias que se instalam na superfície da pele causam o mau odor. Ele surge devido à produção de suor por glândulas chamadas apócrinas, muito concentradas nestas regiões, que favorecem a multiplicação de bactérias e causam um cheiro ruim.

A bromidrose ocorre pela ação dos micróbios, diabetes, alcoolismo, certos alimentos (cebola, alho, pimenta), alguns antibióticos e hormônios, atribuindo-lhe características peculiares e desagradáveis. Não tomar banho, usar uma roupa ou meia várias vezes sem lavar também são um dos fatores que causam o cecê e o chulé.

 

SINAIS

O dermatologista Ricardo Fenelon explica que o suor é algo natural e necessário para o corpo, mas é preciso ficar de olho nos sinais que possam surgir.

“Nem sempre essas manifestações estão ligadas à má higiene pessoal. Em alguns casos, o forte odoro pode estar relacionado à presença de bactérias na pele”, diz.

Segundo o Ricardo, diante de qualquer alteração na pele ou no organismo que fuja do normal, é necessário procurar um dermatologista de confiança para fazer o tratamento adequado.

“Em alguns casos, o tratamento vai além de mudanças diárias, sendo necessária a ingestão de medicamentos e até cirurgias”, diz Fenelon.

Para prevenir e não ter mau cheiro, confira as dicas simples do dermatologista para ajudar a combater a bromidrose.

 

OS CUIDADOS CONTRA A BROMIDROSE

– Faça depilação com mais freqüência nessas regiões

– Use sabonetes antissépticos na região das axilas e desodorantes com substâncias antibacterianas e antifúngicas

– Use peças de algodão tanto as roupas como para as peças íntimas

– Prefira os calçados abertos e fabricados com matérias-primas naturais aos fechados e produzidos com material sintético

– Evite os tecidos sintéticos, pois retêm o suor. Nos dias mais quentes, evite usar roupas escuras e tecidos pesados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *